O pilates no pós-parto

fisioterapia e pilates
Pilates X Fisioterapia
13 de outubro de 2016
pilates avançado
Workshop Pilates Avançado Dia 11 de Novembro 2017
11 de novembro de 2016
pós-parto

A gravidez é um momento especial na vida de uma mulher. Sua vida e seu corpo passam por inúmeras mudanças, tanto físicas, como hormonais. Há uma alteração do centro de gravidade, um afastamento do músculo reto abdominal pelo crescimento da barriga causando o que chamamos de diástase abdominal, aumento do peso corporal, aumento de hormônios como a progesterona, estrógeno e relaxina, que deixam os ligamentos frouxos.

Após o parto há uma diminuição nas taxas hormonais, os órgãos vão voltando para o lugar, o útero se contrai para voltar ao seu tamanho, o corpo fica flácido e a mulher tem que começar a se adaptar à nova rotina.

O retorno à atividade física no puerpério (período de 6 a 8 semanas após o parto) depende do tipo de parto e precisa de liberação médica. Normalmente a mulher é liberada para atividades leves com 15 dias após o parto normal e com no mínimo 30 dias após a cesárea, dependendo de cada caso, sendo importante o acompanhamento de um profissional qualificado. Esse retorno deve ser feito forma gradual, respeitando sempre o limite da aluna.

Pensando nisso, o Pilates tem se tornado um excelente aliado das mulheres nesse período pós-parto. Ele irá atuar na recuperação do assoalho pélvico (região que sustenta os órgãos do sistema reprodutor), prevenindo a incontinência urinária, fortalecer a musculatura abdominal e lombar, melhorando a estabilidade do corpo, e ajudar a diminuir a diástase abdominal.

Como há uma grande atenção ao trabalho dos músculos do assoalho pélvico e transverso- os quais são responsáveis pela estabilidade pélvica, lombar e pela contenção das vísceras- é perceptível, dentro de poucas sessões uma mudança de circunferência abdominal e alivie de dores (quando há), devido ao grande período em que o abdome ficou relaxado e a postura adquirida durante a gestação.

O Pilates tem um trabalho de respiração tão eficaz que, com essa consciência e automatização, conseguimos acionar músculos muitos profundos. Aqueles que usamos para a sustentação dos ossos e contenção visceral.

O trabalho postural torna-se muito importante, pois além das alterações que ocorrem durante a gravidez, a puérpera tende a ficar com uma postura mais relaxada devido à amamentação e por ficar segurando o bebê por muito tempo.

Na recuperação pós-parto, o Pilates ajuda a recuperar a boa forma, no emagrecimento, na melhora da autoestima e a disposição, reorganizando o corpo em todas as articulações, como coluna, escápulas, ombros, pelve, joelhos e tornozelos.

Para mais informações siga-nos no Facebook ou entre em contato conosco.

Por Ana Carolina C. Tartalho

Deixe um Comentário

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *